Prefeitura prorroga pela 2ª vez prazo para entrega de laudo da estrutura do monotrilho no Sul de MG


Nova prorrogação foi publicada no Diário Oficial de Poços de Caldas desta segunda-feira (27); laudo agora deverá ser entregue até o dia 19 de julho. A Prefeitura de Poços de Caldas (MG) prorrogou pela segunda vez o prazo para execução do laudo sobre as condições do monotrilho da cidade.
📲 Participe do canal do g1 Sul de Minas no WhatsApp
A nova prorrogação foi publicada no Diário Oficial do Município desta segunda-feira (27). O laudo agora deverá ser entregue até o dia 19 de julho.
O primeiro prazo venceria em 5 de abril, mas tinha sido prorrogado para o dia 20 de maio.
Veja também:
Demolido ou terceirizado? Entenda futuro de monotrilho inspirado em atração da Disney e parado há 2 décadas
O laudo vai trazer um estudo técnico sobre a estrutura do monotrilho, destacando se ela pode ser reaproveitada ou demolida. Toda estrutura possui 4,3 quilômetros e levaria o monotrilho do terminal de linhas urbanas no Centro da cidade até a rodoviária.
Monotrilho de Poços de Caldas (MG)
Júlia Reis/g1
O monotrilho
Estacionado há mais de duas décadas após a estreia, o monotrilho foi inaugurado como uma promessa de transformação da mobilidade urbana em Poços de Caldas.
Da concepção, em 1981, até os dias atuais, a iniciativa já enfrentou uma série de desafios que tem dificultado a reativação e ainda colocam em questão a viabilidade do “trem futurístico”.
Comparado com o trem da Disney, imaginado como uma pista de caminhada elevada e até sonhado como um meio de transporte turístico, o monotrilho parecia uma solução inovadora.
Monotrilho da Disney (à esquerda) e monotrilho de Poços de Caldas (à direita)
Disney e Júlia Reis/g1
Os testes com passageiros começaram nos anos 2000. Após a inauguração oficial, o trem descarrilou em uma curva e 19 pessoas precisaram ser resgatadas pelo Corpo de Bombeiros.
O monotrilho funcionou poucas vezes até que foi suspenso definitivamente em 2003, quando duas pilastras, que ficam ao longo da Avenida João Pinheiro, caíram e derrubaram cerca de 50 metros da estrutura.
Um dos últimos capítulos da “novela”, antes do novo laudo, foi em 2019, quando a empresa responsável pelo projeto, J. Ferreira Ltda, abdicou do contrato de concessão do monotrilho, entregando a obra nas mãos da Prefeitura de Poços de Caldas.
Desde então, a administração municipal solicitou avaliações técnicas para entender a viabilidade e as condições da estrutura, e também tem procurado por empresas com especialidade para tocar o projeto.
Veja mais notícias da região no g1 Sul de Minas
Adicionar aos favoritos o Link permanente.